“ESG” – Conceito e relevância no mundo corporativo.



Por Rodrigo dos S. P. Cabral

RESUMO: Este artigo tem por objetivo ampliar o grau de conhecimento das empresas, em especial as de mineração, quanto à adoção das práticas ESG, ou seja, das melhores práticas ambientais, sociais e de governança de um negócio.

Palavras-chave: ESG, Meio Ambiente, Social e Governança

ABSTRACT

Keywords: ESG, ENVIRONMENTAL, SOCIAL AND GOVERNANCE

______________________________________________________________________________________

Você já se perguntou quanto ao que a sua empresa vem fazendo em relação à sustentabilidade? E ainda, sabe o que significa “ESG” e como a sua aplicação pode ser extremamente rentável para o seu negócio?

Pois bem, “ESG” é uma sigla em inglês que significa “Environment, Social and Governance”, e a adoção das práticas ESG pode ser decisiva para o sucesso ou fracasso no seu negócio.

O conceito ESG funciona como um termômetro para medir se a sua empresa, ou o seu negócio, procura minimizar os impactos no meio ambiente, e ainda, construir um mundo melhor para as pessoas envolvidas, mantendo, assim, um excelente padrão de gestão e de resultados.

A origem da sigla ESG se deu em 2005, tendo surgido em um relatório de iniciativa liderada pela Organização das Nações Unidas, o qual foi intitulado “Who Cares Wins”, ou seja, ganha quem se importa, e que concluiu que a adoção desses fatores gerava mercados mais sustentáveis e melhores resultados para as empresas.

A letra “E” da sigla se refere às boas práticas da empresa relacionadas à conservação do meio ambiente no tocante a questões que envolvam, por exemplo, o desmatamento, o aquecimento global, a escassez de água, dentre outras.

Assim, no que diz respeito à sustentabilidade ambiental, o desempenho da empresa será avaliado levando-se em consideração a sua capacidade de agir com responsabilidade no ambiente natural em que atua, bem como as políticas por ela adotadas para mitigar riscos ambientais, como a utilização de energia renovável, controle da poluição e de emissão de gases tóxicos, gestão de recursos hídricos, dentre outras.

Já a letra “S”, está relacionada com a interação entre a empresa e as pessoas envolvidas no negócio, sempre destacando, por exemplo, questões como a proteção de dados e privacidade (LGPD), a satisfação dos clientes, respeito aos direitos humanos, dentre outras.

Portanto, no tocante ao aspecto social, a atuação da empresa será analisada observando-se a forma em que a mesma interage e gerencia o relacionamento com seus colaboradores, clientes, fornecedores, assim como comunidades em que exerce suas atividades, tornando-se uma verdadeira referência para a sociedade no seu ramo de atuação.

No que tange à letra “G”, a relação com a administração da empresa, ou seja, questões que envolvem, por exemplo, a conduta corporativa, a remuneração dos executivos, a existência de um controle de riscos e compliance, dentre outras.

Neste ponto, destacamos a importância da gestão de riscos e de compliance as quais deverão ser implementadas pelas empresas.

O termo compliance significa “estar em conformidade com” o que foi imposto, comprometer-se com a integridade, e no mundo corporativo, uma empresa em compliance é aquela que cumpre e observa rigorosamente a legislação à qual se submete e aplica princípios éticos nas suas tomadas de decisões, preservando ilesa sua integridade, assim como a de seus colaboradores e administradores.

Desta forma, compliance tem a função de monitorar e assegurar que todos os envolvidos com uma empresa estejam de acordo com as práticas de conduta da mesma. Essas práticas devem ser orientadas pelo código de conduta e pelas políticas da empresa, cujas ações estão especialmente voltadas para o combate à corrupção.

Portanto, compliance reduz a incidência de fraudes e desconformidades, que geram desvios de recursos, evitando, assim, riscos de sanções legais, perdas financeiras e perda de reputação, além de aumentar a qualidade das decisões dentro da empresa, reduzindo o custo operacional, o que reflete diretamente no aumento de eficiência na gestão e no desempenho da empresa.

Por essas razões, no mundo atual, a indiferença às questões acima apontadas pode trazer risco de graves danos à reputação da empresa, e, em última instância, o fracasso do próprio negócio.

Por outro lado, um sério compromisso com a sustentabilidade gera inovação, melhoramentos nas ações e, principalmente, o aprimoramento da liderança, colaboração e transparência.

A adoção das práticas ESG resultará em uma marca corporativa mais forte, no estabelecimento de referências para toda a indústria e sociedade, tornando as mineradoras e seus projetos de mineração mais atraentes para investidores, em especial os estrangeiros, além proporcionar um aumento da receita, possibilitando a redução de custos, e ainda, identificar e definir estratégias que irão aumentar a capacidade de adaptação da empresa diante dos desafios socioeconômicos e ambientais, ou até mesmo de força maior, que possa surgir.

Assim, quando adotadas as práticas ESG, a sua empresa estará demonstrando para o mercado a sua preocupação, e, principalmente, a sua forma de atuação, contra todos e quaisquer riscos à sustentabilidade de seu negócio.

Se a sua empresa, ainda assim, possui dúvidas quanto a investimentos em sustentabilidade, se vantajosos ou não, esperamos ter deixado claro que as boas práticas de governança, responsabilidade social e ambiental, no mercado competitivo e exigente de hoje em dia, serão vitais para a manutenção, crescimento e sucesso do seu empreendimento.

Este artigo é de autoria de Rodrigo dos S. P. Cabral (OAB/RJ 116.820), advogado sênior da FFA LEGAL, escritório especializado no atendimento jurídico, contábil-fiscal e administrativo a empresas do setor mineral, e direcionado a seus clientes e parceiros.

Fontes:

istoedinheiro.com.br

Who Cares Wins 2005 Conference Report: Investing for Long-Term Value

https://www.ifc.org/wps/wcm/connect/corp_ext_content/ifc_external_corporate_site/home https://en.wikipedia.org/

editoraforum.com.br

Revista VC S/A edição janeiro/2021